quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Inscrições do XIV Congresso da ASPROLF serão abertas na próxima segunda-feira (06)


Na próxima segunda-feira (06), estarão abertas as inscrições para o XIV Congresso dos Trabalhadores em Educação de Lauro de Freitas. As inscrições vão até o dia 17 de outubro.

O congresso, promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Lauro de Freitas-BA (ASPROLF), anualmente, é considerado um evento importantíssimo na construção e reconstrução do documento norteador da luta dos trabalhadores para o ano subsequente. Acontecerá nos dias 05, 06 e 07 de novembro de 2014, na Escola Municipal Dois de Julho, situada à rua São Cristóvão, S/N, Itinga.

O Congresso – Com o tema “Educação Pública: (Re)construção e (Des)envolvimento da Sociedade”, o XIV Congresso tem o objetivo de provocar reflexões do papel dos principais atores na (re)construção e (des)envolvimento da sociedade, através da educação pública. Desta forma, espera-se que o evento agregue diferentes correntes sindicais e de centrais sindicais no intuito de expor suas visões a respeito do assunto. Cerca de 1.000 pessoas são esperadas para o Congresso, entre trabalhadores de vários segmentos (professores, diretores e vice, coordenadores, auxiliares de classe, guarda escolar, zelador, secretário escolar etc.), autoridades, representantes de sindicatos e centrais sindicais e outros convidados. Ao todo serão 4 eixos temáticos e palestras apresentando propostas e experiências sobre as lutas e reivindicações dos trabalhadores em educação.

As inscrições deste ano, para quem não é filiado, serão pagas. Será cobrada uma taxa de R$50,00 (cinquenta reais). Para se inscrever, o/a trabalhador/a deverá preencher a ficha de inscrição disponibilizada através de envio de e-mail para aqueles que estão cadastrados na ASPROLF e entregar na sede da entidade sindical, localizada na Av. Brigadeiro Mário Epinghaus, 329, loja 44, Centro Comercial Top Center, Lauro de Freitas, BA (em frente aos Correios). Tel.: 3378-0409. As inscrições também será feitas na assembléia geral extraordinária que acontecerá no dia 07 de outubro, nos dois turnos. NÃO ACEITAREMOS QUALQUER OUTRO FORMA DE INSCRIÇÃO. ASSIM COMO NÃO HAVERÁ INSCRIÇÃO NO DIA E LOCAL DO CONGRESSO.


Serão emitidos certificados para aqueles que se inscreverem e participarem de todas as atividades do congresso. A carga horária do certificado é de 30 horas. 

ASPROLF convoca trabalhadores em educação para assembleia extraordinária

A reunião na próxima terça-feira vai discutir a violência nas escolas e pautas do XIV Congresso da ASPOLF 2014


Na próxima terça-feira (07) a ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Lauro de Freitas convoca a categoria para assembleia nos dois turnos, que vai ser realizada na AFPEB (Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia) para discutir a violência nas escolas.

Recentemente um caso ocorrido na escola municipal Loteamento Santa Júlia em que um pai de aluno agrediu e ameaçou diretora e demais funcionários após ser chamado para conversar sobre uma situação de mau comportamento do filho dele, aluno da escola. A ação chocou a população local e ganhou repercussão na mídia televisiva.

A reunião também vai tratar de outras pautas relevantes, além de iniciar as inscrições do XIV Congresso da ASPROLF 2014, que vai acontecer nos dias 05, 06 e 07 de novembro.
Contamos com a presença dos/as trabalhadores/as. Não abra mão dos seus direitos!

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

DATA: 07 de outubro de 2014 (próxima terça-feira)

HORÁRIO: pela manhã, às 09h; pela tarde, às 14h

LOCAL: Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia (AFPEB)

PAUTA:

1.       Informes;
2.       Processos Administrativos;
3.       Reda;
4.       Infraestrutura escolar;
5.       Inscrições do XIV Congresso da ASPROLF 2014;
6.       Violência Escolar;
7.       O que ocorrer.

ASPROLF decide operação tartaruga nas escolas municipais de Lauro de Freitas por conta dos salários

Por conta dos salários atrasados do mês de setembro na rede municipal de ensino, a ASPROLF - Sindicato dos Trabalhadores em Educação decidiu na manhã de hoje (01) que as escolas devem entrar em operação tartaruga, durante todo o dia com o funcionamento das aulas até o horário do intervalo, liberando em seguida os alunos.

Os vencimentos que deveriam ser pagos no último dia útil do mês, pela manhã, ainda não entrou na contas de muitos servidores, o que está causando transtornos para esses profissionais. De acordo com a secretaria de educação, houve um problema de transmissão dos lotes de pagamento, mas até o final da manhã tudo estaria resolvido.

Ainda assim, diante do mal-estar instalado, a entidade sindical orienta a categoria a trabalhar no mesmo ritmo dos salários, ou seja, está mantida operação tartaruga até que os vencimentos estejam por completo nas contas dos serventuários. Lembrando que essa situação se estende a outros servidores da prefeitura municipal.





quinta-feira, 25 de setembro de 2014

ASPROLF participou de reunião na Escola Municipal Santa Júlia para debater a situação da violência na escola

ASPROLF, pais, alunos, professores, funcionários e Secretaria de Educação reuniram-se na Escola Municipal Santa Júlia





Aconteceu durante toda a manhã de hoje (25) na Escola Municipal Loteamento Santa Júlia uma Reunião do Colegiado que discutiu a violência nas escolas tendo como ponto específico o caso de agressão sofrido pela diretora, vice e demais professoras e funcionários da Escola esta semana por um pai de aluno.

No encontro, além do corpo docente da Escola, estiveram representantes a ASPROLF (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Lauro de Freitas), a secretária municipal de educação, Adriana Paiva e representantes de pais de alunos. Durante a discussão foi relatada o conflito vivido no espaço escolar pela Diretora, Luzinete Lima e a vice Marilene Silvestre que foram, assim como todos os funcionários, que foram intimidados, agredidos e levianamente acusados de incompetência e ausência na sala de aula.

Na reunião de hoje, os educadores relataram à secretária Adriana Paiva a sensação de medo desde agressão a até morte, tanto deles como de qualquer aluno da unidade de ensino, visto que o responsável pela agressão aos docentes fez sérias ameaças dentro da escola. O Colegiado solicitou a transferência do aluno para outra unidade de ensino, já que o caso é reincidente e foram esgotadas todas as formas de diálogo, com os pais da criança. “Ele é um aluno inteligente e de boas notas, nossa preocupação é com ele, por isso pedimos a transferência sem prejuízo para seu aprendizado”, disse a diretora Luzinete Lima, que se preocupa com a repercussão da violência do pai do aluno, já que o fato foi presenciado por várias pessoas, inclusive estudantes que levaram o caso para casa. Representantes dos pais de alunos demonstraram o mesmo medo e pedem a relocação do aluno para outra escola da rede, e duas já estão confirmadas para receber o estudante, sem prejuízo de conteúdo.

Após analisar de perto os fatos, a SEMED acatou e se dispôs a levar a decisão de transferência do aluno à Promotoria do Município que vai analisar o caso e marcar nova reunião para a manhã desta sexta-feira, com a decisão final. Mas os professores informaram que caso a justiça não acate pela mudança de escola, haverá uma paralisação na Escola. A secretária também confirmou que a transferência foi pedida desde ontem, mas o pai do estudante que afirmou na escola e para a secretária na quarta-feira (24) que a “escola não presta e os professores são incompetentes”, insiste em manter o aluno na unidade de ensino.

Foi acordado então a formação de uma Comissão que envolve os educadores e a ASPROLF para novamente discutir junto à Justiça toda a situação e a transferência do aluno, como forma de protegê-lo de danos psicológicos e no aprendizado, já que a atitude do pai causou uma revolta na comunidade do Loteamento Santa Júlia. “Essa é uma escola considerada modelo, todo pai quer seu filho estudando aqui, e nós não vamos aceitar uma situação de risco dessa para nossos filhos. Ele (o pai) ofendeu não só a professora, mas aos funcionários e aos pais presentes. Queremos uma resposta da secretaria de educação”, disse Margareth Soledade, representante do Colegiado Escolar.

O Caso - Tudo começou quando o aluno usou um xingamento dentro da sala de aula e a professora de matemática pediu que ele se retratasse, já que tal atitude é uma falta de respeito à docentes e aos colegas de classe. O estudante não se retratou, o caso foi levado à diretoria da escola que pediu a presença dos pais da criança no ambiente escolar para discutir o assunto. No mesmo dia, o pai do aluno esteve no local e bastante alterado agrediu moralmente a diretora e a vice da unidade de ensino e disse que ela (a diretora) não sabia com quem estava mexendo, e que iria ao prefeito Marcio Paiva, “com quem ele tem moral”, pra que ela seja demitida. Ele voltou hoje (24) à escola e fez novas ameaças.

Emocionalmente abalada, a professora Luzinete Lima disse que foi à SEMED – secretaria municipal de educação - relatou o fato. Prestou queixa também na delegacia de Itinga onde fez um boletim de ocorrência. Alémdisso procurou a ASPROLF, que está apoiando e acompanhando o caso junto às autoridades competentes.


Violência Escolar: Medo e insegurança dentro da Escola Municipal Loteamento Santa Júlia

Diretoria, professoras e funcionários da escola foram surpreendidos por ameaças e intimidação de um pai de aluno


Sempre se soube que a escola é o local de aprendizado de civilidade, conteúdo e harmonia entre a comunidade escolar e responsáveis pelos alunos. Mas essa regra foi quebrada nesta segunda-feira (22) quando o pai de um estudante de iniciais MSB, de 11 anos de idade, invadiu a escola municipal Loteamento Santa Júlia, em Itinga, e ameaçou e agrediu moralmente a diretora Luzinete Lima e a vice, Marilene Silvestre.

Tudo começou quando o aluno usou um xingamento dentro da sala de aula e a professora de matemática pediu que ele se retratasse, já que tal atitude é uma falta de respeito à docentes e aos colegas de classe. O estudante não se retratou, o caso foi levado à diretoria da escola que pediu a presença dos pais da criança no ambiente escolar para discutir o assunto. No mesmo dia, o pai do aluno esteve no local e bastante alterado agrediu moralmente a diretora e a vice da unidade de ensino e disse que ela (a diretora) não sabia com quem estava mexendo, e que iria ao prefeito Marcio Paiva, “com quem ele tem moral”, pra que ela seja demitida. Ele voltou hoje (24) à escola e fez novas ameaças.

Emocionalmente abalada, a professora Luzinete Lima disse que foi à SEMED – secretaria municipal de educação -  relatou o fato. Prestou queixa também na delegacia de Itinga onde fez um boletim de ocorrência. Além disso procurou a ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Lauro de Freitas, que está apoiando e acompanhando o caso. Amanhã a ASPROLF juntamente com professores da Escola Municipal Loteamento Santa Júlia farão uma mobilização contra a violência nas escolas sofrida por professores e toda a comunidade escolar.

No dia seguinte a secretária de educação do município, Adriana Paiva esteve na escola para esclarecer os fatos e prestou apoio à direção da escola, inclusivo no ato do registro policial da ocorrência. O fato também foi passado para a Procuradoria de Justiça do Município que vai investigar o caso e tomar medidas cabíveis. De ante mão, a SEMED solicitou documentos do levantamento pedagógico e administrativo da escola, já que o pai do aluno afirmou que os professores são faltosos e incompetentes; para reunir provas da boa conduta da instituição junto à comunidade escolar. A SEMED pretende também pedir a transferência do aluno, para uma escola mais próxima da residência dele. Duas unidades de ensino foram disponibilizadas para receber o aluno.

A diretora Luzinete enfatiza que o aluno, pivô da situação, é na verdade, vítima de toda essa situação já que o estudante é bem sucedido em aprendizado e nota, e tem apenas problemas de comportamento, que poderiam ser resolvidos se houvesse um apoio correto dos pais. “Com 23 anos de docência, não pensava viver isso. As coisas estão se perdendo no tempo. O papel da escola é de mediação de conteúdo e conhecimento; a educação doméstica é de responsabilidade dos pais e responsáveis”. A vice diretora Marilene Silvestre também demostrou preocupação com o fato e disse que a maior preocupação é não permitir que acontecimentos como esse virem rotina nas escolas, até porque, é uma situação de ameaça não apenas para o professor, mas para outros alunos também. Ela pede ação das autoridades competentes pra que não deixem que pior aconteça.

A mobilização de amanhã é justamente para conscientizar a comunidade escolar e pais e responsáveis de aluno para esta realidade. Antes está programada uma Comissão que vai reunir professores e a secretária Adriana Paiva para novamente discutir o assunto. O protesto acontece durante toda a manhã na Escola Municipal Loteamento Santa Júlia, no bairro de Itinga, Lauro de Freitas.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

ASPROLF convoca trabalhadores em educação para reunião jurídica para tratar de FGTS

O Departamento Jurídico da ASPROLF está convocando os trabalhadores em educação que trabalharam na prefeitura de Lauro de Freitas no período de 1984 a 1993 a comparecerem na sede da entidade sindical para uma reunião que tratará do FGTS não depositado na época.

A ASPROLF - Sindicato dos Trabalhadores em Educação fica localizado na Rua Brigadeiro Mário Epinghaus, 329, L 44, Centro Comercial Top Center, próximo aos Correios.

Mais informações pelos contatos abaixo.

Telefone: 3378-0409 - E-mail: asprolf@yahoo.com.br

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Plenária da ASPROLF com os candidatos ao Governo esclareceu quais projetos estão sendo preparados para a educação na Bahia


O evento foi a oportunidade do eleitor definir seu voto de acordo com as metas de governo de cada candidato para a categoria

A ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do município de Lauro de Freitas realizou nesta terça-feira (16) na AFPEB (Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia) uma plenária com os candidatos ao Governo do Estado para discutir as propostas para a educação que serão executadas pelo próximo Governador do Estado a partir de  1º de janeiro e 2015.

Na reunião que teve como objetivo esclarecer as metas para a educação na Bahia junto à classe trabalhadora em Lauro de Freitas, todos os seis candidatos foram convidados mas apenas quatro deles compareceram.  Na mesa estavam Renata Mallet do PSTU (Partido Socialista do Trabalho Unificado), Marcos Mendes do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), Rogério Da Luz do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro) e representando o candidato Rui Costa do PT (Partido Trabalhista) Cristina Kavalkievicz da Sec-BA – Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Não compareceram os candidatos Lídice da Mata, do PSB (Partido Socialista Brasileiro) e Paulo Souto do DEM, o Democratas. Além deles esteve presente também o candidato ao senado pelo PSOL Hamilton Assis, acompanhando Marcos Mendes.

Em comum como plano de governo para a educação, os quatro presentes pretendem manter a discussão do Plano de Carreira da categoria, item presente em pautas antigas de ex-candidatos e que até agora não foi definido. Os postulantes, além de falarem cada um de suas propostas, criticaram e debateram entre si. A representante do candidato Rui Costa relacionou a maioria das metas do candidato para a educação, entre elas a criação do Instituto Estadual de Educação Básica, o que ela considera como uma das melhores propostas de Rui para a educação na Bahia. Marcos Mendes, se for eleito, pretende ao longo dos seus 4 anos de mandato pagar totalmente a URV do servidor estadual além de, como segundo ponto fundamental de realização de sua gestão na Bahia, discutir e definir o Plano de Carreira da Educação.

Já a candidata Renata Mallet disse que se eleita, sua prioridade de governo para a educação é instituir o fim do REDA (Regime Especial Administrativo) e a realização de concurso público para atender à demanda nas salas de aula e garantir uma educação pública de qualidade. Mallet também pretende usar o DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos, que é um valor de índice maior do que pelo atual que é calculado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FUNDEB. Também está no plano de Mallet aumentar o investimento para a pasta pelo PIB da Bahia que é de 5%.

Prometendo revolucionar o Governo na Bahia em sua gestão o candidato Rogério Da Luz, disse que vai reduzir o número de secretarias no Estado para ter recursos para a realização de seus projetos, entre eles a criação de creches escolas em tempo integral, além da melhoria da infraestrutura da rede pública no Estado. Da Luz considera que a educação na Bahia hoje deixa a desejar, e é um dos motivos do alto índice de violência no Estado.

A ausência dos candidatos Lídice da Mata e Paulo Souto, que tinham outros compromissos de agenda já marcados, foi o único ponto negativo no evento, e para eles, que perderam a oportunidade de discutir e esclarecer para a categoria seus projetos para a educação. Acima de tudo, a Plenária da ASPROLF com os candidatos ao Governo do Estado foi uma conquista para o sindicato e os Trabalhadores em Educadores no município de Lauro de Freitas e serviu como reflexão sobre os planos de governo para a pasta desde a manutenção da educação como a valorização do profissional, além de ajudar o eleitor na escolha de quem votar no dia 5 de outubro, data do primeiro turno das eleições 2014.